Reunião no Mapa abre um novo caminho para exportações via porto de Salvador

Publicado em: 21/08/2017

Com a finalidade de melhorar a logística de exportação do algodão baiano pelo porto de Salvador, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) promoveu uma reunião, nesta quinta-feira (16), em São Paulo, com a empresa de exportação MSC (Mediterranean Shipping Company S.A), Madlog, o Terminal de Contêineres de Salvador (Tecon) e tradings envolvidas no processo. O encontro serviu para acertar estratégias que irão viabilizar a exportação da fibra via Salvador.

Segundo o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, o porto de Salvador já opera com as exportações da safra de algodão produzida nos municípios da região oeste da Bahia, mas o custo da logística deve ser repensado. “A exportação já está sendo feita, mas estamos buscando formas de melhorar esse processo e diminuir o custo de logística para que o produtor consiga ter um ganho no futuro. Estamos esperançosos com isso, e nos próximos dias deverá sair uma nova tabela de custos com melhores condições para os produtores baianos”, afirmou Busato. Até então, o escoamento desta produção era feito pelo Porto de Santos (SP).

A estratégia inicial é a de abrir uma porta via porto de Salvador para Turquia, Bangladesh e Paquistão através do escoamento da produção do algodão. O objetivo é que em um curto espaço de tempo o porto consiga atingir a meta de 12 mil containers, isso, apenas com a cadeia produtiva do algodão. “A princípio iremos exportar um volume que seja viável para o primeiro ano e aumentaremos gradativamente, para então, atingir a totalidade do algodão baiano, exportado via Salvador”, explicou Guilherme Bonfim, superintendente de Desenvolvimento Agropecuário da Secretaria de Agricultura (Seagri).

Para o superintendente Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento na Bahia, Osanah Setúval, o porto de Salvador “é o único no País que tem uma via expressa que liga a BR diretamente as docas, facilitando o acesso, o embarque e desembarque das cargas, agilizando, mais ainda, o processo de escoamento dos containers”, afirmou Setúval.

A nova operação via porto de Salvador é resultado de uma ação comercial desenvolvida pelo Ministério da Agricultura (Mapa), Seagri, Companhia das Docas da Bahia (Codeba), Abapa, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), juntamente com o Tecon, empresa que administra as operações no porto. A ação abre um novo leque de possibilidades de utilização do porto de Salvador para exportação dos estados do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), além de Minas Gerais.


FONTES: Ascom Aiba com informações da Ascom Seagri / aiba.org.br



<< voltar


Ir para o topo