Melhoria da rede elétrica nas comunidades agrícolas da região é tema de reunião entre agricultores e Coelba
Publicado em: 29/08/2017

Tratar sobre a ampliação do serviço de energia elétrica para o oeste da Bahia e a concessão de benefícios para produtores irrigantes. Estes foram os principais assuntos do encontro promovido, nesta segunda-feira (28), pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), entre agricultores e representantes da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba).

De acordo com relatos dos produtores, muitas comunidades agrícolas ainda não possuem energia elétrica, como no caso da Coaceral e Jaborandi, e em outras, a oscilação da tensão provoca o mau funcionamento dos motores de pivôs, bombas d´água, algodoeiras e silos. A solução estaria na melhoria da rede elétrica do oeste com a criação de novas subestações.

De acordo com o gerente de Relacionamento com Clientes Corporativos da Coelba, Paulo Medeiros, esses problemas estão com os dias contados. “Concluímos as obras do eixo de 138 kW da subestação Rio Grande II e Barreiras II e estamos trabalhando, junto com a ANEEL, para construção das subestações de Pratudão, do rio Formoso na região de Jaborandi; e de São Marcelo, do município de Formosa do Rio Preto que atenderia a Coaceral”, anunciou.

Ainda segundo ele, “com essas obras e as que estão planejadas, principalmente se houver a retomada dos serviços de conexão com a Hidroelétrica de Belo Monte, os problemas de oscilação e oferta de energia devem ser resolvidos”.

O encontro também serviu para alertar os agricultores, principalmente os irrigantes, sobre a concessão de benefício tarifário e fiscal que a lei determina para a classe. O gerente de Cadastro de Clientes Corporativos da Coelba, Rafael Sardeiro, explicou que “a distribuidora deve conceder desconto especial na tarifa de uso do sistema de distribuição e na tarifa de energia incidentes no consumo de energia elétrica ativa, exclusivamente, na carga destinada à irrigação vinculada à atividade de agropecuária e na carga de aquicultura, desde que o consumidor efetue a solicitação por escrito ou por outro meio que possa ser comprovado”, ressaltou Leonardo.

A reunião, que serviu para aproximar os produtores rurais dos agentes responsáveis pela Coelba no oeste baiano, foi mais um passo importante para cobrar melhoria do serviço de energia elétrica para agricultura na região. “A Aiba vai mobilizar e auxiliar seus associados para que sejam reunidas as demandas de energia elétrica por localidade e, em seguida, repassará à Coelba. A ampliação e a regularidade do fornecimento de energia são fundamentais para o desenvolvimento da agricultura praticada na região, possibilitando a ampliação das áreas irrigadas e a instalação de agroindústrias”, concluiu o presidente da Aiba, Celestino Zanella.

FONTES: Ascom Aiba / aiba.org.br



<< voltar


Ir para o topo