Fundesis dá início às inspeções em entidades sociais do oeste da Bahia
Publicado em: 21/06/2019

O Fundo para o Desenvolvimento Sustentável e Integrado da Bahia (Fundesis) iniciou nesta terça-feira (18) as inspeções às entidades contempladas com recursos do último edital (2018.1). As primeiras instituições a serem visitadas foram as de Luís Eduardo Magalhães. O objetivo é inspecionar se o valor destinado pelo Fundo está sendo aplicado corretamente.

Em um único dia, a coordenadora do Fundesis, Makena Thomé, percorreu a sede de cinco instituições: Associação do Autista de Luís Eduardo Magalhães (AMA LEM), Associação de Pais e Amigos Excepcionais / Escola Especial Renascendo do Saber (Apae), Associação dos Moradores do Aracruz (AMA), Associação Rio de Pedras e a Associação São Francisco e Santa Clara, com projetos

“São visitas corriqueiras, previstas em edital, com o propósito de acompanhar o crescimento, desenvolvimento e atendimento dos contemplados. Isso humaniza mais o processo, porque não é só a destinação de dinheiro, mas o mais importante: de tempo, através da capacitação e da participação efetiva da rotina daquela entidade”, salientou.

Makena classifica as visitas de “momento importante para estreitar laços e averiguar o andamento dos projetos mais de perto, para que os gestores atendam todas as condicionantes exigidas no processo de seleção”. Segundo ela, as inspeções são feitas em três fases da obra: antes, durante e depois, para que se monte um relatório com os resultados.

Contemplada com recursos do Fundesis pela terceira vez, a Associação dos Moradores de Aracruz sabe da importância da doação para a manutenção da entidade. “Somos imensamente gratos aos produtores doeadores do Fundesis, pois cada centavo é multiplicado para viabilizar o nosso trabalho de acolhimento diário de 150 crianças. Além delas, prestamos assistência, de forma digna e confortável, às famílias. Isso só é possível graças aos recursos que recebemos”, conta a diretora, Ângela Simone Araújo, ressaltando que a entidade já foi beneficiada três vezes pelo Fundo.

Outra instituição ajudada pelo Fundesis é a Associação São Francisco e Santa Clara. Graças ao fundo, à verba destinada pelo Fundo, a sede e, consequentemente, os serviços prestados serão ampliados. “Com isso, vamos aumentar também o número de atendimento. Agora com as obras, haverá uma ala para abrigar 10 pessoas em situação de abandono. Como a nossa instituição é pequena, a ajuda veio em um momento muito bom. É uma continuidade do nosso trabalho”, observou o diretor da entidade, Luís Antônio.

O Fundesis é fruto de uma parceria bem-sucedida entre os agricultores do Oeste da Bahia, representados pela Aiba, e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB). O Fundo capta doações voluntárias deixadas pela categoria ao custear a lavoura junto à entidade financeira, que atua como “agente catalisador” nesse processo.

Em quase 13 anos de atuação, o Fundesis tem promovido a transformação social e econômica em vários municípios da região, ao financiar projetos de entidades sociais que atuam nas áreas de saúde, educação, cultura, agricultura sustentável, empreendedorismo e inclusão social e digital.


FONTES: aiba.org.br



<< voltar


Ir para o topo