Coaceral recebeu Aiba e Abapa, finalizando as reuniões anuais nas comunidades agrícolas
Publicado em: 21/10/2019

A Coaceral foi a última comunidade agrícola a sediar as reuniões anuais da Aiba/Abapa, nesta quinta-feira (17). Nos últimos dois meses, as diretorias e parte do corpo técnico das duas entidades de classe percorreram comunidades para apresentar projetos institucionais e ouvir o produtor com suas demandas. A ideia é aproximar associações e associados, mesmos os mais distantes geograficamente.

Propostas para conclusões de estradas e outros projetos nas áreas ambiental, social, de infraestrutura, logística, fitossanitária e de pesquisa foram apresentadas pelo presidente da Aiba, Celestino Zanella, que fez as honrarias da noite, ao lado do conselheiro consultor, Luiz Pradella, que também conduziu parte da reunião. ”Sempre que posso, gosto de visitar as comunidades em época de reunião, para entender e participar junto. Aqui na Coaceral me sinto ainda mais pertencente, pois é onde também tenho fazenda. É importante que os associados estejam inteirados e participem das ações desenvolvidas dentro da associação”, reitera Pradella.

Já em termos de segurança pública, nos municípios e fazendas, números animadores e percentuais crescentes foram apresentados pelo coordenador da Operação Safra, o capitão PM Weber, que apresentou dados do desempenho financeiro da operação entre 2018/2019, desde o trabalho preventivo nos crimes, número de corporações e veículos na ronda até as ocorrências registradas pelos donos de fazenda e um quadro de desempenho financeiro com despesas e receitas da operação. “Os policiais empregados na Operação Safra são policiais voluntários, em folga. A presença do coordenador nas comunidades é de extrema importância, pois aproxima a comunidade da polícia militar, estreita o relacionamento entre produtores, profissionais de segurança pública e Aiba, sobretudo, mostrando de forma prática e intensa que estaremos presentes, oferecendo tranquilidade em todos os momentos”, afirma o capitão.

O produtor Marcos Reginatto, da fazenda Reginatto, reside na região da Coaceral há 19 anos. Sócio da Aiba há 10 anos, ele avalia como positiva essas reuniões com formato descontraído e leve. “Sou associado e julgo todas as propostas e projetos realizados pela Aiba como positivos. Acho interessante atentar apenas para a questão da energia elétrica. É preciso, sobretudo, discutir com afinco esse item, porque ainda é nossa maior carência no amplo aspecto, relata o produtor.

O assunto não ficou fora da pauta. A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), presente na reunião, conduziu sobre o tema. Funcionários da empresa elencaram as benfeitorias efetuadas esse ano, como segurança na rede elétrica e cumprimentos de prazos, com promessas de planos de viabilidade no fornecimento de energia para a região. “Tudo depende da viabilidade e da autorização expressa da agência reguladora federal. Tirar a Coelba da zona de conforto para o atendimento direto nessas comunidades agrícolas é mérito da Aiba. Hoje, a Coelba vai à procura do produtor e não o inverso. E juntos, estamos realizando esse progresso de forma crescente”, conclui o supervisor de relacionamento da concessionária, Leonardo Oliveira.

O presidente Celestino Zanella finaliza os encontros com resultados positivos em todas as comunidades por onde a Aiba/Abapa passaram e com perspectiva em dobrar positivamente os projetos, capacitações e a presença de órgãos parceiros, que vão desde a segurança pública ao cadastro legal das propriedades e o bom funcionamento da eletricidade nas regiões. O presidente da Aiba falou das ações do Instituto Aiba, ressaltando a importância de os agricultores aderirem ao Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis), como mecanismo de promoção de transformação da região. “Levar conosco parceiros como CREA, Coelba e Polícia Militar reforça e atende presencialmente as necessidades de cada região. Nosso intuito é somar e agregar mais parceiros, e, juntos, discutirmos pontos positivos e negativos individualmente, ao lado do produtor, fonte primordial para a Aiba”, finaliza Zanella.

Além de Coaceral, as reuniões itinerantes passaram por outras seis comunidades agrícolas: Rosário, Roda Velha, Luís Eduardo Magalhães, Cascudeiro, Estrada do Café e Panambi.


FONTES: Ascom Aiba / aiba.org.br



<< voltar


Ir para o topo